ÁGUIA NA CABEÇA

– Todo nosso trabalho está produzindo resultados positivamente inesperados. Suspeitávamos que ele processava as perguntas somente durante o sono R.E.M.. A primeira abordagem foi deixá-lo adormecido durante todo o tempo, mas não conseguimos um retorno claro quanto as respostas geradas. Se dormindo 8 horas diárias ele respondia a apenas um pergunta por dia, dormindo 24 horas perdemos qualquer tipo de expectativa quanto a periodicidade das respostas. Ele poderia ficar dias e mais dias sem falar durante o sono, por exemplo. Um feliz acidente em um dos nosso computadores de monitoramento redundou em uma superdose de Naporexima 36 que acabou por bloquear totalmente a produção de melatonina. Foi quando atingimos o estágio atual que suspeitamos ser uma variação assintótica de Maladaptive Daydreaming. Não sabemos bem do que se trata, mas agora ele se encontra 100% do tempo em R.E.M., mas completamente reativo a nossas perguntas. Nesta situação, o stress físico é inevitável e o risco do organismo entrar em um colapso irreversível tornou-se um perigo permanente, mas controlável. A alimentação, por exemplo, foi resolvida com uma simples gastrostomia. Todos nutrientes são lançados via cateter diretamente no estômago. Além disso, conectamos em todo o corpo perto de 6000 nanoeletrodos que disparam pequenas descargas elétricas. Foi a maneira que encontramos para evitar o enfraquecimento precoce dos músculos por desuso. Cada um dos nanoeletrodos é também um sensor que permite acompanhamento em tempo real da situação clínica do organismo como um todo. Tudo monitorado: de um mero rompimento de vasos capilares no reto até o fluxo dos íons de cálcio no cérebro. Uma vez por dia, ele é banhado a seco assim como a pele é hidratada para evitar escaras. Como ele fala sem parar durante 24 horas, temos um cuidado especial com as cordas vocais, pulmões, pescoço e mandíbula. Até os dentes são escovados, inclusive. Ninguém quer uma garganta inflamada ou uma extração de dente enquanto ele solta o resultado do preço do petróleo em 2043 ou o resultado da loteria de amanhã no Uzbequistão. Na verdade, desde quando chegou aqui, ele nunca teve uma saúde tão boa. E o algoritmo tem funcionado de maneira impecável. No primeiro dia conseguimos um Pi até a octingentésima casa decimal. Agora estamos em um fase em que não sabemos se ele vai demonstrar a Conjectura Forte de Goldbach ou o Teorema de Fermat antes do fim desta semana.

– Esse aqui é o mais velhinho. Mas tá saudável.  Vendo por uns 300.000 cruzados. Uma mixaria, mas é queimão de estoque, sobrou só ele. E com essa inflação toda, é um preço bom. Mas tem que ter paciência, ou ele fica mudo ou passa o dia falando nome de animal. Os caras são gringos? Não vão entender nada de qualquer maneira. O porteiro um dia até ganhou no bicho seguindo a conversa dele. 250.000? Tá fechado.

– Um Kadett preto largou o menino aqui, Dra. Carmen. Tá alimentado. Gordinho, bochecha rosada, olha.  Mas parece doente mental. Só tá falando nome de bicho sem parar. Será que é autista? Sem documento, sem nada. Como a gente pode colocar ele pra adoção assim?

– Então, mocinho, você é di menor. Legal você ter a sorte de ganhar na loto… seu irmão não vai parar de falar nome de bicho não? cadê o pai e a mãe de vocês? Eles podem retirar o prêmio mas você não, tá bom? Trás eles aqui no banco e a gente deixa vocês ricos. E cuidado com esse bilhete premiado, ae… alguém pode roubar vocês, vai saber.

– Rodrigo repete os bichos do seu sonho de hoje? hum, hum… é você acertou de novo. Amanhã eu vou apostar. A gente consegue rapidinho uma grana pra fugir de casa. Não aguento mais. Mamãe tava certa… sei lá… ela podia ter levado a gente. Mas ela tava certa em cair fora e largar esse escroto.

– Esse menino passou a noite batendo com o carrinho na parede. Puta que pariu! será que tive filho mongolóide de tanto beber cachaça? Mas tu nasceu direitinho, né Rogério? Aproveita e vai lá com esse traste, pega pra mim o resultado do bicho de ontem enquanto eu me levanto e vejo o que tem pra comer. Tá no poste do lado do bar, seu burro. E pega aqui esse 5 cruzeiro passa no bar do Kléber e traz umas duas garrafas de Chora Rita pra mim. E traz o troco, seu porra. Pera ae, liga o rádio, que tá na hora do programa do Mário Eugênio.  

(Anderson Leite)

la-et-ashes-to-ashes-1980-20160111-1024x576

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: